sábado, 19 de junho de 2010

José Saramago

Prémio Nobel da Literatura, em 1998, José Saramago, morreu, ontem, sexta-feira às 12h30mn, com 87 anos, na sua residência em Lanzarote, onde residia desde há alguns anos.


Escritor fecundo, crítico acérrimo das fraquezas de um país com o qual viveu uma relação de amor mal resolvida... Deixa uma obra vastíssima, traduzida em muitas línguas, e uma Fundação que, decerto dará continuidade ao valor do seu trabalho.





"Uma vida literária


Saramago nasceu na aldeia de Azinhaga, na Golegã, a 16 de Novembro de 1922, e apesar da mudança com a família para Lisboa, com apenas dois anos, o local de nascimento seria uma marca constante ao longo da sua vida, como referiria na Academia Sueca em 1998, aos 76 anos, quando da sua distinção com o Nobel da Literatura. A austeridade material da sua infância, contraposta a uma riqueza humana que o marcaria indelevelmente, seria um dos pontos fulcrais do discurso, onde destacou longamente a avó Josefa e o avô Jerónimo, "capaz de pôr o universo em movimento com apenas duas palavras." Na biografia "José Saramago", editada em Janeiro deste ano, o autor João Marques Lopes escreve que "sobre todos [os familiares mais próximos], Saramago deixaria algo escrito."

Estudante no Liceu Gil Vicente, que é obrigado a abandonar por dificuldades económicas, matriculando-se na Escola Industrial Afonso Domingues, termina em 1939 os estudos de Serralharia Mecânica. Como primeiro emprego, trabalha nas oficinas do Hospital Civil de Lisboa. A paixão pela literatura é alimentada de forma autodidacta, nas noites passadas na Biblioteca do Palácio das Galveias. Nos anos seguintes, transitará para os serviços administrativos do Hospital Civil, antes de se ligar profissionalmente à Caixa de Abono de Família do Pessoal da Indústria da Cerâmica.

Em 1944, casa com a gravadora e pintora Ilda Reis. A filha única do casal, Violante Saramago Matos, nasceria em 1947, o mesmo em que publica a sua primeira obra, “Terras do Pecado”. O título original, “Viúva”, foi alterado por imposição do editor da Minerva. Saramago desvaloriza o livro, que nunca incluiu na sua bibliografia. Uma das razões apontadas pelo seu autor para a exclusão foi, precisamente, a alteração forçada do título. “Clarabóia”, que seria o sucessor de “Terras do Pecado”, foi recusado pelo seu editor e permanece inédito até hoje.


A partir de 1955, Saramago começa a desenvolver trabalho de tradutor, dedicando-se a nomes como Hegel ou Tolstoi. O regresso à edição dar-se-ia mais de uma década depois. Em 1966, altura em que ocupava o cargo de editor literário na Editorial Estúdio Cor, lança o livro de poesia “Poemas Possíveis”. Então um autor discreto no panorama literário nacional, continuaria a exprimir-se em poema nas obras seguintes, “Provavelmente Alegria” (1970) e “O Ano de 1993” (1975).

Crítico literário na “Seara Nova” a partir de 1968, torna-se no ano seguinte membro do Partido Comunista Português, do qual será, até à morte, um dos mais distintos militantes. A partir do final de década de 1960 desenvolve trabalho intenso na imprensa, principalmente enquanto cronista, no "Diário de Notícias" ou "Diário de Lisboa", n’"A Capital", no "Jornal do Fundão" ou na revista "Arquitectura".

Em 1975, em pleno PREC, torna-se director-adjunto do "Diário de Notícias". Esta função representaria o auge do seu percurso jornalístico e, paradoxalmente, seria fundamental para o seu regresso à literatura e ao romance, o género em que se notabilizaria definitivamente. A sua direcção-adjunta seria marcada pelo polémico saneamento de jornalistas que se opunham à linha ideológica do jornal. Demitido no 25 de Novembro, acusado de aproveitar a sua posição para impor no diário os desejos políticos do PCP, toma uma decisão que transformaria a sua vida. Não mais se empregaria. A partir de então, seria um escritor a tempo inteiro.

“Manual de Pintura e Caligrafia”, três décadas depois de “Terras do Pecado”, foi a primeira obra de José Saramago após se dedicar em exclusivo à escrita. Com os livros seguintes, “Levantado do Chão” (1980), “Memorial do Convento” (1982) e "O Ano da Morte de Ricardo Reis", torna-se escritor respeitado pela crítica e conhecido pelo público. É neles que define o seu estilo enquanto romancista, marcado pelas longas frases, pela ausência de travessões indicativos de discurso e pela utilização inventiva da pontuação. Nos seus livros, personagens fictícias surgem em convívio com personalidades históricas, como no supracitado “Memorial do Convento” ou em “História do Cerco de Lisboa” (1989), e são criados cenários irreais para questionar e problematizar a actualidade, como em “A Jangada de Pedra” – em que a Península Ibérica se separa do continente europeu, errando pelo Atlântico.

Quando, em 1991, lançou para as livrarias o seu Cristo humanizado de “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, Saramago esperaria certamente a contestação dos sectores católicos da sociedade portuguesa. Não esperaria o aconteceu para além disso. O veto oficial do romance ao Prémio Literário Europeu, pela voz do então Sub-secretário de Estado da Cultura Sousa Lara, do governo liderado por Cavaco Silva, precipitou a sua saída de Portugal. Em 1993, auto-exilou-se na ilha de Lanzarote, nas Canárias, com Pilar del Rio, a jornalista espanhola com quem casara em 1988.

As primeiras obras em Lanzarote seriam “Ensaio Sobre a Cegueira” (1995), ficção apocalíptica que o realizador Fernando Meirelles adaptaria ao cinema treze anos depois, e “Todos os Nomes” (1997). Um ano depois, seria alvo da maior distinção da sua carreira. A 9 de Outubro de 1998, José Saramago foi anunciado vencedor do Prémio Nobel da Literatura, o primeiro atribuído a um escritor português. Seria o impulso decisivo para a sua ascensão a figura literária global e o premiar de uma obra que se dedicou a explorar e questionar a natureza humana de diversos ângulos e em diversos cenários. Em 2002, em entrevista ao diário britânico Guardian, confessava, "provavelmente sou um ensaísta que, como não sabe escrever ensaios, escreve romances." Não só, para além dos romances e da poesia, deixa obra enquanto dramaturgo, assinando as peças teatrais "Que Farei Com Este Livro" ou "In Nomine Dei".

Saramago, que o influente crítico literário norte-americano Harold Bloom considerava o mais talentoso romancista vivo, manteria nos anos seguintes uma cadência editorial regular. “A Caverna” (2000), “O Homem Duplicado” (2002), “As Intermitências da Morte” (2005) e “A Viagem do Elefante” (2008) foram lançados enquanto o escritor se assumia também enquanto voz interventiva, muitas vezes polémica, no espaço mediático mundial. Converteu-se inclusivamente à blogosfera em 2008, aos 86 anos (blog.josesaramago.org), de onde lançou por exemplo repetidos ataques a Silvio Berlusconi, o primeiro-ministro italiano que classificou de "vírus". Nada de novo num homem que apreciava a discussão, que erguia alto a voz na defesa das suas ideias. Anos antes do episódio Berlusconi, denunciara aquela que considerava ser a política criminosa do Estado Israelita relativamente à Palestina, acusando Israel de “não ter aprendido nada com o Holocausto”, classificara a globalização como “o novo totalitarismo” e surpreendera os camaradas de partido ao não alinhar no apoio aos dirigentes cubanos que condenaram à morte três responsáveis pelo desvio de um "ferry". Em Portugal, o iberista convicto polemizou ao declarar que Portugal e Espanha estariam destinados a fundir-se num único país.

“Caim” (2009), o seu último romance, acompanhado das declarações feitas aquando do seu lançamento, em que classificou a Bíblia como “um manual de maus costumes”, foi a derradeira polémica (e provocação) de Saramago. "


Sem comentários:

Leituras

Leituras
Os livros que se seguem apresentam as minhas opiniões sobre os mesmos. Exclusivamente o meu "ponto de vista". EC

Índice médio de felicidade

Índice médio de felicidade
clicar na imagem para ler o post

Eu até sei voar

Eu até sei voar
clicar na imagem para ler o post

Mágoas da Escola

Mágoas da Escola
clicar na imagem para ler o post

CINCO PAIS NATAIS E TUDO O MAIS

CINCO PAIS NATAIS E TUDO O MAIS
clicar na imagem para ler o post

Deixa-me entrar

Deixa-me entrar
clicar na imagem para o post

Caderno de Tóquio

Caderno de Tóquio
clicar na imagem para ler o post

Le goût des glaces

Le goût des glaces
clicar na imagem para ler o post

Não os desiludas - histórias da escola

Não os desiludas - histórias da escola
clicar na imagem para ler o post

Eu quero Amar, Amar perdidamente

Eu quero Amar, Amar perdidamente
clicar na imagem para ler o post

A ferramenta que faz os contos

A ferramenta que faz os contos
Clicar na imagem para ler o post

A arte de ensinar

A arte de ensinar
clicar na imagem para ler o post

O Futuro da Escola Pública

O Futuro da Escola Pública
clicar na imagem para ler o post

A inclusão nas escolas

A inclusão nas escolas
clicar na imagem para ler o post

Crianças em Risco VOL 4

Crianças em Risco VOL 4
clicar na imagem para ler o post

A vida na porta do frigorífico

A vida na porta do frigorífico
clicar na imagem para ler o post

O mundo segundo BOB

O mundo segundo BOB
clicar na imagem para ler o post

A Saga de um Pensador - O Futuro da Humanidade

A Saga de um Pensador - O Futuro da Humanidade
clicar na imagem para ler o post

A intuição leitora, a intuição narrativa

A intuição leitora, a intuição narrativa
clicar na imagem para ler o post

Tu tens direito

Tu tens direito
clicar na imagem para ler o post

Políticas educativas em Portugal

Políticas educativas em Portugal
Clicar na imagem para ler o post

Mafaldisses - crónica sobre rodas...

Mafaldisses - crónica sobre rodas...
clicra na imagem para ler o post

Todas as cores do vento

Todas as cores do vento
clicar na imagem para ler o post

Prisioneiro em mim

Prisioneiro em mim
clicar na imagem para ler o post

Crónicas do avó Chico

Crónicas do avó Chico
cliacar na imagem para ler o post

PSICOMOTRICIDADE – Jogos facilitadores de aprendizagem

PSICOMOTRICIDADE – Jogos facilitadores de aprendizagem
Clicar na imagem para ler o post

Fala Comigo

Fala Comigo
clicar na imagem para ler o post

Sara, A Luz

Sara, A Luz
clicar na imagem para ler o post

Indisciplina Na Escola

Indisciplina Na Escola
clicar na imagem para ler o post

O quarto de Jack

O quarto de Jack
clicar na imagem para ler o post

A Magia das chaves

A Magia das chaves
clicar na imagem para ler o post

Gaudi, um romance

Gaudi, um romance
clicar na imagem para ler o post

o ladrão de Sombras

o ladrão de Sombras
clicar na imagem para ler o post

Partes de mim

Partes de mim
clicar na imagem para ler o post

História de uma esquizofrenia - Jérémy, sua família, a sociedade

História de uma esquizofrenia - Jérémy, sua família, a sociedade
clicar na imagem para ler o post

Maria e Eu

Maria e Eu
clicar na imagem para ler o post

Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!

Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!
clicar no post para ler a imagem

Rafeiro Perfumado: "Are you ladrating to me?!?"

Rafeiro Perfumado: "Are you ladrating to me?!?"
Clicar na imagem para ler o post

"Rafeiro Perfumado: a minha vida dava um blog"

"Rafeiro Perfumado: a minha vida dava um blog"
Clicar na imagem para ler o post

O menino de Cabul

O menino de Cabul
clicar na imagem para ler o post

A Educação na Finlândia: Os segredos de um sucesso

A Educação na Finlândia: Os segredos de um sucesso
Clicar na imagem para ler o post

"Aproveitem a vida"

"Aproveitem a vida"
Clicar na imagem para ler o post

"Olha-me nos Olhos"

"Olha-me nos Olhos"
Clicar na imagem para ler o post

"Einstein nunca amou"

"Einstein nunca amou"
Clicar para ler o post

"Mais alto do que as palavras"

"Mais alto do que as palavras"
Clicar para ler o post

Temos de falar sobre o Kevin

Temos de falar sobre o Kevin
clicar na imagem para ler o post

Os Mistérios do Sono

Os Mistérios do Sono
Clicar na imagem para ler o post

Quem mexeu no meu queijo

Quem mexeu no meu queijo
Clicar na imagem para ler o post

Aprender Juntos para Aprender Melhor

Aprender Juntos para Aprender Melhor
clicar na imagem para ler o post

A criança que não queria falar

A criança que não queria falar
clicar na imagem para ler o post

Domesticar a hiperactividade e o défice de atenção

Domesticar a hiperactividade e o défice de atenção
clicar na imagem para ler o post

Síndroma de Down: Leitura e Escrita

Síndroma de Down: Leitura e Escrita
clicar para ler o post

Inclusão - Um guia para Educadores e Professores

Inclusão - Um guia para Educadores e Professores
clicar na imagem para ler o post

O jardim de infância e a família

O jardim de infância e a família
clicar para ler o post

Organização da componente de Apoio à Familia

Organização da componente de Apoio à Familia
clicar na imagem para ler o post

Contributos para o estudo das práticas de Intervenção Precoce em Portugal

Contributos para o estudo das práticas de Intervenção Precoce em Portugal
clicar na imagem para ler o post

O segredo das crianças felizes

O segredo das crianças felizes
Clicar na imagem para ler o post

Crianças (e pais) em risco

Crianças (e pais) em risco
Clicar para ler o post

Comportamentos e estratégias de actuação na sala de aula

Comportamentos e estratégias de actuação na sala de aula
clicar para ler o post

Educar com os pais

Educar com os pais
clicar na imagem para ler o post

A Criança e o Medo de Aprender

A Criança e o Medo de Aprender
clicar na imagem para ler o post

Hiperatividade Eficaz

Hiperatividade Eficaz
clicar na imagem para ler o post

A criança e o psicólogo

A criança e o psicólogo
clicar na imagem para ler o post

A matemática no pré escolar

A matemática no pré escolar
clicar para ler o post

A experiência motora no meio aquático

A experiência motora no meio aquático
clicar na imagem para ler o post

Problemas de alimentação na criança

Problemas de alimentação na criança
clicar na imagem para ler o post

A Intervencão Precoce e a criança com Síndrome de Down

A Intervencão Precoce e a criança com Síndrome de Down
clicar na imagem para ler o post

Educar, promover, emancipar - os contributos de Paulo Freire e Rui Grácio para uma Pedagogia Emanci

Educar, promover, emancipar - os contributos de Paulo Freire e Rui Grácio para uma Pedagogia Emanci
clicar na imagem para ler o post

Da investigação às práticas

Da investigação às práticas
clicar na imagem para ler o post

Valores Educativos, Cooperação e Inclusão autor: Ramos Leitão(Salamanca 2010)

Ouvindo o silêncio

O estranho caso do cão morto

Mal entendidos