domingo, 9 de março de 2014

Uma sombra no Reino da Cornucópia (ou, a curta saga de como vivi esta Ilusão)



O edital era claro. O Reino da Cornucópia corria perigo.

Qual apelo a roçar a desesperança, à turba era requerida prestação na forma dum empenho formal, cujo preito se pretendia absoluto. E eis que vindos de vários recantos circunvizinhos ao reino, ali chegaram muitas gentes prontas de tal entrega. Homens e mulheres, novos e velhos, altos e baixos, louros e morenos, e muitos outros cuja adjetivação se alongava, responderam em número generoso ao chamamento. Difícil terá sido a eleição. O douto soberano, esse, senhor intemporal de muitas outras batalhas travadas, entregou-se com os seus demais ao escolhimento de tal multidão, porventura desígnio ingrato pela eliminação previdente duns em detrimento doutros. Uma a uma, foram estas gentes ouvidas, como se duma profissão de fé se tratasse. Postas que estavam as declarações públicas que cada um fez dos seus princípios, coube ao soberano do reino a escolha dos seus cruzados. Seriam 59, número ímpar sem par. Agora, a verdadeira preparação iria principiar.

Em torno duma távola que não redonda, se procedeu à leitura comum da escritura. Passagem a passagem, assim ficámos a conhecer os propósitos que nos aguardavam. Cada um desempenharia a sua função específica, disso não restava qualquer incerteza. Quer agrupados por alas ou centrados no terreno, a táctica foi sendo delineada. O soberano nada descurava. Posições sabidas que quase estavam, foi o texto sagrado sendo assimilado até à exaustão. Que a ninguém restasse qualquer dúvida sobre aquele, que ao mais incauto poderia trazer a desventura. O movimento destas hostes careceu igualmente de muitos cuidados e receios, posta que estava a chusma várias vezes em presença no terreno.

O condestável, esse, coadjuvante máximo de tão nobre soberano, ao qual cuja fadiga por vezes se acercava, continuava tanto quanto possível incansável, marcando e remarcando horas sucessivas, pois que a tarefa se mostrava longa em tão curto espaço de tempo, e estas gentes tinham entre mãos outros afazeres.

Dia a dia a contenda foi sendo preparada. Chegado o momento da indumentária, cada um proveu-se das suas vestes de batalha, augúrio supremo de boa prestação na façanha que se adivinhava. As sortes estavam lançadas e laçados estávamos todos a um mesmo ideal, neste franco contubérnio.
A justa estava para breve.

Chegado o dia mor e dispostas que foram as hostes no terreno, numa disposição em vogal aberta quase perfeita, aguardou-se paulatinamente, dia após dia, a chegada contínua de vastas hordas, vindas sabe-se lá de que recantos afastados da imensidade.
Cada gesta prometia ser rija.

A caterva, ou completa ou parcial, removia-se no terreno em uníssono, recuos e avanços sucessivos, entrando e saindo seus pares consoante as imposições dos escritos, deixando o hostil estarrecido. Ora surgiam deste reacções pusilânimes mais ou menos esparsas, ora acometiam mais raramente brados sonoros que mais não faziam que, ao invés da desmotivação, aumentar a autoestima e a entrega à contenda dos destemidos cavaleiros de tal senhor.
Por fim a rendição era total.

Dia a dia se foi fazendo noite a noite cada vitória completa. O soberano reinante, que da batalha também fazia parte, acudia bem antes do final, para que o desnorte do auditório em torvelinho, conduzisse à sua própria entrega. E assim acontecia. Uns, abandonando vagarosamente o local da contenda, retinham ainda suas visões sobre aqueles 59 briosos cruzados, extasiados que estavam pelo feito alcançado, que festejavam com cânticos e danças o meritório triunfo. Outros, deixavam-se contagiar pelo calor da vitória e juntavam-se também ao folguedo, não se dando conta de vencedores e vencidos. Todos numa irmandade.
Por breves instantes o Mundo estava todo ali e parecia perfeito.

Eu, que como Sombra em tal momento servi tamanho soberano e seu infatigável séquito, olho agora para trás e vejo já um tempo de saudade imensa. Nunca a elucidação clara e a palavra reconfortante proferidas pelo monarca, foram parcas de conteúdo. Para esta Sombra, foi concomitantemente um tempo de aprendizagem e engrandecimento. Há no entanto um saber de função cumprida, cujas lacunas técnicas por mim ostentadas, tentei compensar pela entrega incondicional a esta empresa. Fui um privilegiado no meio de tantos outros.

Que nunca o Reino da Cornucópia soçobre por falta de apoio!
Que nunca o seu suserano se encontre titubeante perante tal incerteza!
Que nunca esta Arte deixe de o ser para o Ser, ávido que está de saber!
Que a nova invocação, decerto qualquer um dos 59 responderá prontamente!
Longa vida ao Reino da Cornucópia!

De…

…uma Sombra incondicionalmente grata e amiga.

Paulo Almeida

foto de:  Manuel Tomé Romano 

Sem comentários:

Leituras

Leituras
Os livros que se seguem apresentam as minhas opiniões sobre os mesmos. Exclusivamente o meu "ponto de vista". EC

Índice médio de felicidade

Índice médio de felicidade
clicar na imagem para ler o post

Eu até sei voar

Eu até sei voar
clicar na imagem para ler o post

Mágoas da Escola

Mágoas da Escola
clicar na imagem para ler o post

CINCO PAIS NATAIS E TUDO O MAIS

CINCO PAIS NATAIS E TUDO O MAIS
clicar na imagem para ler o post

Deixa-me entrar

Deixa-me entrar
clicar na imagem para o post

Caderno de Tóquio

Caderno de Tóquio
clicar na imagem para ler o post

Le goût des glaces

Le goût des glaces
clicar na imagem para ler o post

Não os desiludas - histórias da escola

Não os desiludas - histórias da escola
clicar na imagem para ler o post

Eu quero Amar, Amar perdidamente

Eu quero Amar, Amar perdidamente
clicar na imagem para ler o post

A ferramenta que faz os contos

A ferramenta que faz os contos
Clicar na imagem para ler o post

A arte de ensinar

A arte de ensinar
clicar na imagem para ler o post

O Futuro da Escola Pública

O Futuro da Escola Pública
clicar na imagem para ler o post

A inclusão nas escolas

A inclusão nas escolas
clicar na imagem para ler o post

Crianças em Risco VOL 4

Crianças em Risco VOL 4
clicar na imagem para ler o post

A vida na porta do frigorífico

A vida na porta do frigorífico
clicar na imagem para ler o post

O mundo segundo BOB

O mundo segundo BOB
clicar na imagem para ler o post

A Saga de um Pensador - O Futuro da Humanidade

A Saga de um Pensador - O Futuro da Humanidade
clicar na imagem para ler o post

A intuição leitora, a intuição narrativa

A intuição leitora, a intuição narrativa
clicar na imagem para ler o post

Tu tens direito

Tu tens direito
clicar na imagem para ler o post

Políticas educativas em Portugal

Políticas educativas em Portugal
Clicar na imagem para ler o post

Mafaldisses - crónica sobre rodas...

Mafaldisses - crónica sobre rodas...
clicra na imagem para ler o post

Todas as cores do vento

Todas as cores do vento
clicar na imagem para ler o post

Prisioneiro em mim

Prisioneiro em mim
clicar na imagem para ler o post

Crónicas do avó Chico

Crónicas do avó Chico
cliacar na imagem para ler o post

PSICOMOTRICIDADE – Jogos facilitadores de aprendizagem

PSICOMOTRICIDADE – Jogos facilitadores de aprendizagem
Clicar na imagem para ler o post

Fala Comigo

Fala Comigo
clicar na imagem para ler o post

Sara, A Luz

Sara, A Luz
clicar na imagem para ler o post

Indisciplina Na Escola

Indisciplina Na Escola
clicar na imagem para ler o post

O quarto de Jack

O quarto de Jack
clicar na imagem para ler o post

A Magia das chaves

A Magia das chaves
clicar na imagem para ler o post

Gaudi, um romance

Gaudi, um romance
clicar na imagem para ler o post

o ladrão de Sombras

o ladrão de Sombras
clicar na imagem para ler o post

Partes de mim

Partes de mim
clicar na imagem para ler o post

História de uma esquizofrenia - Jérémy, sua família, a sociedade

História de uma esquizofrenia - Jérémy, sua família, a sociedade
clicar na imagem para ler o post

Maria e Eu

Maria e Eu
clicar na imagem para ler o post

Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!

Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!
clicar no post para ler a imagem

Rafeiro Perfumado: "Are you ladrating to me?!?"

Rafeiro Perfumado: "Are you ladrating to me?!?"
Clicar na imagem para ler o post

"Rafeiro Perfumado: a minha vida dava um blog"

"Rafeiro Perfumado: a minha vida dava um blog"
Clicar na imagem para ler o post

O menino de Cabul

O menino de Cabul
clicar na imagem para ler o post

A Educação na Finlândia: Os segredos de um sucesso

A Educação na Finlândia: Os segredos de um sucesso
Clicar na imagem para ler o post

"Aproveitem a vida"

"Aproveitem a vida"
Clicar na imagem para ler o post

"Olha-me nos Olhos"

"Olha-me nos Olhos"
Clicar na imagem para ler o post

"Einstein nunca amou"

"Einstein nunca amou"
Clicar para ler o post

"Mais alto do que as palavras"

"Mais alto do que as palavras"
Clicar para ler o post

Temos de falar sobre o Kevin

Temos de falar sobre o Kevin
clicar na imagem para ler o post

Os Mistérios do Sono

Os Mistérios do Sono
Clicar na imagem para ler o post

Quem mexeu no meu queijo

Quem mexeu no meu queijo
Clicar na imagem para ler o post

Aprender Juntos para Aprender Melhor

Aprender Juntos para Aprender Melhor
clicar na imagem para ler o post

A criança que não queria falar

A criança que não queria falar
clicar na imagem para ler o post

Domesticar a hiperactividade e o défice de atenção

Domesticar a hiperactividade e o défice de atenção
clicar na imagem para ler o post

Síndroma de Down: Leitura e Escrita

Síndroma de Down: Leitura e Escrita
clicar para ler o post

Inclusão - Um guia para Educadores e Professores

Inclusão - Um guia para Educadores e Professores
clicar na imagem para ler o post

O jardim de infância e a família

O jardim de infância e a família
clicar para ler o post

Organização da componente de Apoio à Familia

Organização da componente de Apoio à Familia
clicar na imagem para ler o post

Contributos para o estudo das práticas de Intervenção Precoce em Portugal

Contributos para o estudo das práticas de Intervenção Precoce em Portugal
clicar na imagem para ler o post

O segredo das crianças felizes

O segredo das crianças felizes
Clicar na imagem para ler o post

Crianças (e pais) em risco

Crianças (e pais) em risco
Clicar para ler o post

Comportamentos e estratégias de actuação na sala de aula

Comportamentos e estratégias de actuação na sala de aula
clicar para ler o post

Educar com os pais

Educar com os pais
clicar na imagem para ler o post

A Criança e o Medo de Aprender

A Criança e o Medo de Aprender
clicar na imagem para ler o post

Hiperatividade Eficaz

Hiperatividade Eficaz
clicar na imagem para ler o post

A criança e o psicólogo

A criança e o psicólogo
clicar na imagem para ler o post

A matemática no pré escolar

A matemática no pré escolar
clicar para ler o post

A experiência motora no meio aquático

A experiência motora no meio aquático
clicar na imagem para ler o post

Problemas de alimentação na criança

Problemas de alimentação na criança
clicar na imagem para ler o post

A Intervencão Precoce e a criança com Síndrome de Down

A Intervencão Precoce e a criança com Síndrome de Down
clicar na imagem para ler o post

Educar, promover, emancipar - os contributos de Paulo Freire e Rui Grácio para uma Pedagogia Emanci

Educar, promover, emancipar - os contributos de Paulo Freire e Rui Grácio para uma Pedagogia Emanci
clicar na imagem para ler o post

Da investigação às práticas

Da investigação às práticas
clicar na imagem para ler o post

Valores Educativos, Cooperação e Inclusão autor: Ramos Leitão(Salamanca 2010)

Ouvindo o silêncio

O estranho caso do cão morto

Mal entendidos