terça-feira, 30 de agosto de 2011

XII Encontro Nacional da APEI




O XII Encontro Nacional da APEI, realizou-se nos dias 8 e 9 de Julho de 2011, na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa, em colaboração com a Escola Superior de Educação de Lisboa, com a temática Intencionalidade Educativa e Reflexividade.

Durante a sessão de abertura, na parte da manhã de dia 8 de Julho, Lúcia Santos, presidente da APEI, fez o enfoque no que já foi feito em educação de infância e todo um percurso que está para fazer.

Cristina Loureiro, da Escola Superior de Educação de Lisboa, abordou o estudo do PISA (Programme for International Student Assessment), na avaliação conjunta dos resultados apresentados por Portugal numa significativa evolução, factor consequente da importância do pré-escolar no seu alargamento e reforço, anos que se proclamam decisivos para o desenvolvimento da criança. Factores que constituem, sem dúvida, a repercussão nos resultados actuais. Como pontos de reflexão: continuidade do trabalho conjunto já realizado, melhor tempo de trabalho, conciliando este, com as orientações politicas.

Edmundo Martinho, do Instituto da Segurança Social, deixou um repto de que a resposta dada em creche não deve ser vista só no cariz assistencial defraudando a importância pedagógica. Este foco deve ir além da importância do carácter assistencial.

Ainda no final deste painel, Lúcia Santos, salientou a importância da recomendação n.º 3/2011, referente à Educação dos 0 aos 3 anos realizado por Teresa Vasconcelos conselheira do Conselho Nacional de Educação.


No painel seguinte, Maria João Cardona, enquanto moderadora, relembrou uma vez mais o papel interventivo de Teresa Vasconcelos em 1997, (relembre-se a realização das OCEPE), o seu contributo na APEI e os seus artigos publicados.

A ausência de Alexandra Marques, em representação da DGIDC, alterou este painel, tendo Teresa Vasconcelos, apresentado a referida recomendação do CNE. Esta felicitou a APEI pelos seus 30 anos em estado de maturidade. Homenageou também Maria José Nogueira Pinto a quem dedicou a sua apresentação pela dedicação dada no CNE.

Desejando que as crianças possam voar e ter futuro, a prelectora, referiu que só se pode conceber a educação dos 0 aos 3 anos como direito e não apenas como necessidade social. O valor intrínseco desta resposta enquanto estrutura educativa exige uma educação de qualidade como modo de colmatar desigualdades sociais. Enalteceu a importância da família na sua diversidade, como comunidade de afectos e como parceiros competentes e envolvidos nos projectos educativos dos estabelecimentos. Salientou que as crianças são um bem precioso mas que não devem ser tratadas como “pequenos lordes” numa alusão artística da obra de Ana Vidigal.

Referiu a configuração do papel do estado e a necessidade de trabalho de projecto em âmbito de creche, reforçando a importância do brincar que a intencionalidade educativa não pode esquecer, aludindo ao princípio da frugalidade numa sociedade cada vez mais consumista.

Foi também salientado a necessidade do reconhecimento do trabalho das educadoras em creche como docência, bem como a parceria entre profissionais e serviços no superior interesse da criança num investimento necessário para a qualidade da inclusão e a eficácia da intervenção em crianças de risco.

Lembrou o contributo da neurociência e da investigação que referem a importância do estímulo e das orientações pedagógicas e reforçou a importância do direito à palavra das crianças.

Terminou com uma referência a José Tolentino de Mendonça: “O mistério está todo na infância: é preciso que o homem siga o que há de mais luminoso à maneira da criança futura”.

Ana Bettencourt abordou o relatório e as referidas recomendações já apresentadas por Teresa Vasconcelos, salientando os princípios de uma escola inclusiva onde todos devem ter acesso, com recurso aos apoios necessários. Um ponto referido como crucial, foi o evitar de acumulação das dificuldades, desse modo, a escola deixa de se centrar no acto de ensinar para se centrar na organização e planeamento.

Mencionou a necessidade de pais qualificados numa necessidade generalizada da população portuguesa e a influência dos pais terem um projecto académico para perceberem melhor a actividade escolar dos filhos, bem como a um aumento significativo da literacia.

Na segunda parte deste dia, Júlia Formosinho, referiu a qualidade enquanto instância primeira para a equidade. Salientou que diferentes programas produzem efeitos positivos e o impacto destes variam em amplitude e persistência consoante a qualidade do programa. Currículos bem desenhados têm efeitos de longo prazo no sucesso escolar.

John Siraj-Blatchford, referiu a justiça social na oportunidade e equidade no trabalho, questionando, se existe realmente a igualdade de direitos.

As práticas educativas na Educação de Infância e o envolvimento familiar na aprendizagem das crianças têm efeito no desenvolvimento de crianças e famílias. O modo como os intervenientes no processo educativo, trabalham em conjunto de forma intelectual, de modo a resolverem problemas, planificando, e dialogando contribuem para o pensamento e o desenvolvimento profissional. Referiu uma pedagogia efectiva em educação pré-escolar que se apropria da linguagem, valores e práticas em crianças pequenas, não esquecendo a escolha livre com potencial nas actividades desenvolvidas que devem ser diferenciadas e diversificadas, sempre em intercâmbio regular com as famílias

Em suma investir no acesso das crianças é uma aposta na qualidade das famílias.

Seguidamente foram apresentados os posters, que se pautaram diversificados, quer na temática como na apresentação dos mesmos.

Nas sessões paralelas a minha escolha recaiu sobre Práticas de Avaliação — Sistema de Acompanhamento da Criança (SAC) e Escala de Bem-estar Emocional, apresentado por Gabriela Portugal

A escolha relaciona-se com o facto de já ter lido o livro e querer na prática perceber melhor a sua utilização e eficácia da mesma, considerando ser crucial conhecer e saber utilizar os procedimentos diversificados de observação registo e avaliação dos seus processos e efeitos.

Esta prática de avaliação conta com a construção de um instrumento (resultante de um projecto de investigação realizado na Universidade de Aveiro, no âmbito da supervisão pedagógica) ajustado à realidade portuguesa com base nos normativos portugueses, tendo como base de inspiração os instrumentos da avaliação belga e trabalhos desenvolvidos da autoria de Ferre Laevers. Este sistema assenta na base de um ciclo contínuo de observação, avaliação, reflexão e acção, focalizado nos níveis de bem-estar e de implicação, organização do ambiente educativo, aprendizagem e desenvolvimento das crianças.

A apresentação da oradora abordou quatro pontos:

1- Enquadramento oficial da avaliação em educação pré-escolar

Neste ponto foram referidas as OCEPE, o perfil de educador de infância, a Circular nº.: 4 /DGIDC/DSDC/2011 (avaliação em Educação pré-escolar) e a gestão do currículo,( Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar – Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007).

2- Enquadramento conceptual do SAC na educação experencial

Perspectiva geral sobre abordagem experiencial em Educação Pré-Escolar; abordagens da qualidade (focalizadas no contexto, nos processos e nos resultados); Implicação e bem-estar emocional como indicadores de qualidade; escalas de avaliação de implicação e bem-estar (análise processual); Estilo do adulto (dimensões estimulação, sensibilidade e promoção de autonomia) - (análise contextual); Pontos de acção para aumentar a implicação e bem-estar emocional (análise contextual); Atenção e acompanhamento de crianças que suscitam preocupação em termos de bem-estar emocional e implicação; Aprendizagens e desenvolvimento de competências em Educação Pré-Escolar.

3- SAC

O SAC é um instrumento de apoio, à prática pedagógica do educador de infância, que procura agilizar a relação entre práticas de observação, documentação, avaliação e desenvolvimento curricular, com base num ciclo contínuo de observação, avaliação, reflexão e acção, considerando o bem-estar, implicação, aprendizagem e desenvolvimento das crianças.

4- Conclusões

De um modo global pode-se dizer que o SAC permite uma visão clara sobre:

Funcionamento do grupo de crianças em geral, considerando níveis de implicação e bem-estar; Aspectos que referem intervenção especificas; Identificação de crianças que necessitem de atenção diferenciada; Desenvolvimento curricular contextualizado. O SAC responde ao nível da concepção e organização do ambiente educativo; observação, planificação e avaliação e avaliação; relação e acção educativa; desenvolvimento do currículo; capacidade reflexiva do profissional, itens contemplados no perfil do educador, Decreto-Lei n.º 241/2001, de 30 de Agosto http://ebivgama.pt/PDF/Dec-Lei-241-2001.pdf

O dia 9 Julho iniciou com a excelente apresentação de relatos de práticas. Helena Martinho e os seus conhecimentos práticos sobre a ciência transmitida às crianças em Jardim-de-Infância, a equipa do Jardim-de-Infância da Horta Nova reflectiu sobre o trabalho em equipa, factor fundamental na planificação e reajustamento da intervenção educativa. Marta Pereira abordou os conflitos interpessoais e modos de os encarar e superar, factor de oportunidade de aprendizagem para desenvolver atitudes empáticas e dar intencionalidade educativa às referidas aprendizagens na sua resolução.  

Carlos Fiolhais, divertido, lúcido e mágico abordou o estado da ciência nas suas múltiplas facetas, embora referindo o grande progresso alcançado nas últimas décadas, salientou o muito que falta fazer na importância de uma maior promoção na melhor formação de educadores, de modo a que estes sejam um recurso para a proximidade da criança ao conhecimento da ciência.

Laborinho Lúcio insistiu no repto de chegar mais longe e não se deixar ficar pela utopia mas tudo fazer para a alcançar. Brilhante nas suas analogias será difícil transcrever as palavras usadas da sua experiência pessoal de um modo metafórico para passar a mensagem de que é possível acreditar numa melhor escola para todos.

João Formosinho abordou a diversidade cultural na escola actual, colocando o foco da interpretação uniformizada de currículo. Pensamento de tratamento impessoal, perdendo assim a importância do respeito pela diferença e aceitação das diferenças.

Helena Marujo que referiu que um especialista é aquele que não ignora uma coisa, nesse âmbito ela é uma especialista do pensamento positivo pois não ignora o sentido positivo da vida.

A oradora pediu um minuto para salientar um factor positivo. Referiu o pensamento positivo em relação aos outros. Por exemplo, como pode um professor querer um aluno único e pensador mas a fazer o que o professor exige sem colocar objecções (?)

Referiu a imensa medicação, que actualmente é prescrita, na questão de não se conseguir mudar as nossas emoções sem que não se recorra a analgésicos.

Salientou que podemos ver e mostrar o que há de bom e melhor nas escolas, outras formas de escutar, sabendo que outros vêem outros ângulos e outras formas. Observar situações visíveis positivas, abordando a ideia de Florescimento.

Treinar-se para viver e ter um maior equilibro emocional, sendo que quem tem um objectivo, mesmo em situações difíceis, pode aumentar a sua confiança e ser capaz de resolver os problemas da sua vida.

Helena Águeda Marujo, referiu a importância de pequenos passos para alcançar grandes mudanças. Na realidade, o que nos faz aumentar as nossas emoções positivas, como a alegria, o contentamento, o amor, ou o que nos pode ajudar a descobrir mais sentido para o que somos e fazemos, são as mudanças e acções aparentemente simples, básicas, leves, sem complicações.
Reforçar o que é bom e registar os momentos altos. Enumero, de seguida, alguns exemplos citados:

-Passar a listar diariamente as coisas boas que acontecem ao longo do dia;
-Substituir a linguagem crítica por uma linguagem positiva;
-Dedicar tempo aos amigos e às relações importantes da vida;
-Viver aceitando o passado, saboreando o presente e acreditando no futuro;
-Praticar intencionalmente actos de generosidade;
-Usar pequenos grandes gestos pela sustentabilidade do planeta;
Deste modo, a especialista em Psicologia Positiva, através de uma exposição simpática e atractiva passou a mensagem de pensar de forma diferente, descobrindo no dia-a-dia estratégias que nos permitem viver de forma mais equilibrada e feliz. Não esqueceu a mensagem da importância de devolver o valor aos alunos e a felicidade às escolas e o facto de que o direito à educação dos 0 aos 6 anos é um investimento social que tem um retorno significativo. 


O encontro terminou com a presença de Isabel Maria Santos Silva, Secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário que congratulou a APEI pelo trabalho feito, referindo também a importância da educação pré-escolar


A época, final de ano lectivo, período que corresponde a uma reflexão da prática pedagógica desenvolvida, não afastou os cerca de trezentos participantes neste encontro. Curiosamente ou não, correspondendo à temática do encontro, a reflexividade neste momento actual é tão pertinente quanto fundamental. Reflectir sobre as práticas, estas de teor intencionalmente pedagógico, deve ser uma constante num profissional, permite, desse modo não só ajuizar as práticas já feitas como fecundar as práticas futuras.

Quero felicitar a APEI, na qual me incluo, pelos seus 30 anos e pelo XII Encontro realizado. Por estes dois motivos, duplos parabéns. O Encontro bem organizado contou com excelentes oradores. De Teresa Vasconcelos com os seus poemas que caracterizam a sua sensibilidade estética, a Júlia Formosinho reflexiva, Ana Bettencortt, sintética e elucidativa, Carlos Fiolhais mágico e divertido, Laborinho Lúcio, brilhante e apelativo, João Formosinho observador, encerrando com o optimismo salutar de Helena Marujo.

Participar neste encontro veio reforçar a ideia premente de que o jardim-de-infância constitui um agente activo de mudança, logo, tem de estar aberto à diversidade de seres e saberes, desenvolvendo o educador práticas pedagógicas que facilitem e permitam a todas as crianças uma participação efectiva na sociedade e na colaboração com os seus pares.

Citando Isaac Bashevis Singer (Prémio Nobel), "O nosso conhecimento é uma pequena ilha no enorme oceano do desconhecimento."

Muito obrigada à APEI e a todos que a constituem, por terem contribuído para acrescentar mais um pouco de sabedoria e poder de reflexão à minha ilha!
                                                                                         
Elvira Cristina Silva

Sem comentários:

Leituras

Leituras
Os livros que se seguem apresentam as minhas opiniões sobre os mesmos. Exclusivamente o meu "ponto de vista". EC

Índice médio de felicidade

Índice médio de felicidade
clicar na imagem para ler o post

Eu até sei voar

Eu até sei voar
clicar na imagem para ler o post

Mágoas da Escola

Mágoas da Escola
clicar na imagem para ler o post

CINCO PAIS NATAIS E TUDO O MAIS

CINCO PAIS NATAIS E TUDO O MAIS
clicar na imagem para ler o post

Deixa-me entrar

Deixa-me entrar
clicar na imagem para o post

Caderno de Tóquio

Caderno de Tóquio
clicar na imagem para ler o post

Le goût des glaces

Le goût des glaces
clicar na imagem para ler o post

Não os desiludas - histórias da escola

Não os desiludas - histórias da escola
clicar na imagem para ler o post

Eu quero Amar, Amar perdidamente

Eu quero Amar, Amar perdidamente
clicar na imagem para ler o post

A ferramenta que faz os contos

A ferramenta que faz os contos
Clicar na imagem para ler o post

A arte de ensinar

A arte de ensinar
clicar na imagem para ler o post

O Futuro da Escola Pública

O Futuro da Escola Pública
clicar na imagem para ler o post

A inclusão nas escolas

A inclusão nas escolas
clicar na imagem para ler o post

Crianças em Risco VOL 4

Crianças em Risco VOL 4
clicar na imagem para ler o post

A vida na porta do frigorífico

A vida na porta do frigorífico
clicar na imagem para ler o post

O mundo segundo BOB

O mundo segundo BOB
clicar na imagem para ler o post

A Saga de um Pensador - O Futuro da Humanidade

A Saga de um Pensador - O Futuro da Humanidade
clicar na imagem para ler o post

A intuição leitora, a intuição narrativa

A intuição leitora, a intuição narrativa
clicar na imagem para ler o post

Tu tens direito

Tu tens direito
clicar na imagem para ler o post

Políticas educativas em Portugal

Políticas educativas em Portugal
Clicar na imagem para ler o post

Mafaldisses - crónica sobre rodas...

Mafaldisses - crónica sobre rodas...
clicra na imagem para ler o post

Todas as cores do vento

Todas as cores do vento
clicar na imagem para ler o post

Prisioneiro em mim

Prisioneiro em mim
clicar na imagem para ler o post

Crónicas do avó Chico

Crónicas do avó Chico
cliacar na imagem para ler o post

PSICOMOTRICIDADE – Jogos facilitadores de aprendizagem

PSICOMOTRICIDADE – Jogos facilitadores de aprendizagem
Clicar na imagem para ler o post

Fala Comigo

Fala Comigo
clicar na imagem para ler o post

Sara, A Luz

Sara, A Luz
clicar na imagem para ler o post

Indisciplina Na Escola

Indisciplina Na Escola
clicar na imagem para ler o post

O quarto de Jack

O quarto de Jack
clicar na imagem para ler o post

A Magia das chaves

A Magia das chaves
clicar na imagem para ler o post

Gaudi, um romance

Gaudi, um romance
clicar na imagem para ler o post

o ladrão de Sombras

o ladrão de Sombras
clicar na imagem para ler o post

Partes de mim

Partes de mim
clicar na imagem para ler o post

História de uma esquizofrenia - Jérémy, sua família, a sociedade

História de uma esquizofrenia - Jérémy, sua família, a sociedade
clicar na imagem para ler o post

Maria e Eu

Maria e Eu
clicar na imagem para ler o post

Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!

Agarrem-me ou dou cabo desses palhacitos!
clicar no post para ler a imagem

Rafeiro Perfumado: "Are you ladrating to me?!?"

Rafeiro Perfumado: "Are you ladrating to me?!?"
Clicar na imagem para ler o post

"Rafeiro Perfumado: a minha vida dava um blog"

"Rafeiro Perfumado: a minha vida dava um blog"
Clicar na imagem para ler o post

O menino de Cabul

O menino de Cabul
clicar na imagem para ler o post

A Educação na Finlândia: Os segredos de um sucesso

A Educação na Finlândia: Os segredos de um sucesso
Clicar na imagem para ler o post

"Aproveitem a vida"

"Aproveitem a vida"
Clicar na imagem para ler o post

"Olha-me nos Olhos"

"Olha-me nos Olhos"
Clicar na imagem para ler o post

"Einstein nunca amou"

"Einstein nunca amou"
Clicar para ler o post

"Mais alto do que as palavras"

"Mais alto do que as palavras"
Clicar para ler o post

Temos de falar sobre o Kevin

Temos de falar sobre o Kevin
clicar na imagem para ler o post

Os Mistérios do Sono

Os Mistérios do Sono
Clicar na imagem para ler o post

Quem mexeu no meu queijo

Quem mexeu no meu queijo
Clicar na imagem para ler o post

Aprender Juntos para Aprender Melhor

Aprender Juntos para Aprender Melhor
clicar na imagem para ler o post

A criança que não queria falar

A criança que não queria falar
clicar na imagem para ler o post

Domesticar a hiperactividade e o défice de atenção

Domesticar a hiperactividade e o défice de atenção
clicar na imagem para ler o post

Síndroma de Down: Leitura e Escrita

Síndroma de Down: Leitura e Escrita
clicar para ler o post

Inclusão - Um guia para Educadores e Professores

Inclusão - Um guia para Educadores e Professores
clicar na imagem para ler o post

O jardim de infância e a família

O jardim de infância e a família
clicar para ler o post

Organização da componente de Apoio à Familia

Organização da componente de Apoio à Familia
clicar na imagem para ler o post

Contributos para o estudo das práticas de Intervenção Precoce em Portugal

Contributos para o estudo das práticas de Intervenção Precoce em Portugal
clicar na imagem para ler o post

O segredo das crianças felizes

O segredo das crianças felizes
Clicar na imagem para ler o post

Crianças (e pais) em risco

Crianças (e pais) em risco
Clicar para ler o post

Comportamentos e estratégias de actuação na sala de aula

Comportamentos e estratégias de actuação na sala de aula
clicar para ler o post

Educar com os pais

Educar com os pais
clicar na imagem para ler o post

A Criança e o Medo de Aprender

A Criança e o Medo de Aprender
clicar na imagem para ler o post

Hiperatividade Eficaz

Hiperatividade Eficaz
clicar na imagem para ler o post

A criança e o psicólogo

A criança e o psicólogo
clicar na imagem para ler o post

A matemática no pré escolar

A matemática no pré escolar
clicar para ler o post

A experiência motora no meio aquático

A experiência motora no meio aquático
clicar na imagem para ler o post

Problemas de alimentação na criança

Problemas de alimentação na criança
clicar na imagem para ler o post

A Intervencão Precoce e a criança com Síndrome de Down

A Intervencão Precoce e a criança com Síndrome de Down
clicar na imagem para ler o post

Educar, promover, emancipar - os contributos de Paulo Freire e Rui Grácio para uma Pedagogia Emanci

Educar, promover, emancipar - os contributos de Paulo Freire e Rui Grácio para uma Pedagogia Emanci
clicar na imagem para ler o post

Da investigação às práticas

Da investigação às práticas
clicar na imagem para ler o post

Valores Educativos, Cooperação e Inclusão autor: Ramos Leitão(Salamanca 2010)

Ouvindo o silêncio

O estranho caso do cão morto

Mal entendidos